Descubra como a Direto
vai agilizar sua vida!

    BRASIL ECONÔMICO – QUANDO A MÚSICA É MAIS DO QUE UM MERO PASSATEMPO

    BRASIL ECONÔMICO – QUANDO A MÚSICA É MAIS DO QUE UM MERO PASSATEMPO

    O Sócio Diretor da Direto, Silvinei Toffanin, participou de uma matéria do Brasil Econômico, publicada no dia 26 de março de 2013, sobre os benefícios da música no seu dia a dia!

    Confira a matéria completa a seguir:

    Quando a música é mais do que um mero passatempo

     Canções escolhidas por executivos são poderosas aliadas na hora em que eles precisam criar e desestressar do dia a dia

    Música tem o efeito de marcar um momento, fazer os problemas desaparecerem – mesmo que por alguns minutos – ou ainda recuperar o bom humor perdido durante as horas gastas no trânsito. Ao longo da vida, a lista de preferidas pode mudar, mas é só aquela canção especial tocar na rádio para logo transportar o ouvinte para algum local ou para perto de alguém Uma das músicas mais tocadas no iPod do presidente Barack Obama é a “Let’s Stay Together”, de Al Green, que o democrata cantou, no ano passado, durante a campanha presidencial. “Vamos, devemos ficar juntos / Te amando, mesmo nos momentos bons ou ruins, e eu feliz ou triste”, diz a canção.

    Yuri Gripas/reutersRodrigo Geammal, diretor executivo da Elos Cross Marketing, agência de marketing e comunicação 360º graus, também interpreta a sua música favorita, mas para uma audiência bastante distinta. No ano passado, nasceu a sua filha Nina, que só dormia quando ele cantava “Primavera” de Tim Maia. “Podia cantar um grande repertório de músicas infantis, mas ela só dormia com este inesquecível sucesso”, conta. Marcelo Ponzoni, diretor executivo da agência Rae, MP, é outro que escolheu a sua música favorita (Pumped up kicks, da banda Foster the People) por causa da relação com o filho. “Confesso que no primeiro instante que meu filho de 15 anos me convidou para ir ao Lollapalooza, no ano passado, meu rosto deve ter se torcido 180º. Mas a minha relação com o meu filho é muito boa, somos muito amigos e quando convido ele para passear de 750Four ano 1971 com o pessoal da velha guarda, ele jamais diz não… Sendo assim, aceitei imediatamente, corri atrás dos convites e lá fomos nós”, lembra. “No meio do show, em meio a mais de 50 mil pessoas, lá estava eu, próximo ao palco, cercado de jovens por todos os lados, pulando, se beijando, cantando. Não tenho como dizer quanto aquele momento se tornou especial, pois era a primeira vez que meu filho ia a um grande show e havia me convidado”, conta ele cuja relação com o pai foi interrompida precocemente. “Sempre esperei que este momento chegasse um dia em minha vida, mas com os papéis invertidos. Por algumas horas voltei a ser jovem de corpo e alma, senti na pele a vontade de pular por pular, cantar por cantar, soltar e sentir o momento na pele”, diz.

    Silvinei Cordeiro Toffanin, diretor da empresa Direto Contabilidade, Gestão e Consultoria, escolheu a “Golden Heart”, de Mark Knopfler (ex-vocalista e guitarrista do Dire Straits), como favorita por trazer boas lembranças familiares. Davi Bertoncello, diretorexecutivo da agência de inteligência e pesquisa de mercado Hello Research, por sua vez, escolheu “Mistério do Planeta”, dos Novos Baianos. “Na verdade gosto do álbum inteiro (Acabou Chorare). É um marco da música brasileira. Um misto de rock da melhor qualidade, com atributos inegáveis de brasilidade. Único e emocionante.”

    Não é só música popular que toca no iPod dos executivos. Há quem prefira música clássica. A preferida de Rui Rocheta, CEO do Gi Group Brasil, é a Dôme epais (Dueto das Flores) de Léo Delibes, por ser um dueto com duas vozes femininas. Já Alexandre Borin Cardoso, CEO da Prestus, é apaixonado pela 6ª Sinfonia de Ludwig van Beethoven. “Essa música nos motiva a ações criadoras, e a movimentos que busquem solucionar problemas. Isto tem tudo a ver com o que eu e os assistentes virtuais da Prestus fazemos todos os dias. É uma grande inspiração”, afirma.

    Marcelo Lico, sócio-diretor da Crowe Horwath Brasil, é amante de blues tanto que a canção favorita é “Three O´Clock Blues” do BB King. “Um dos melhores álbuns foi a dobradinha entre o BB King & Eric Clapton

    (Riding With the Blues), lançado em 2000. Uma verdade coletânea de clássicos e uma interpretação sem igual”, comenta. “Blues lava a alma…”, destaca.

    Já Raphael Ferrari, diretor de criação da Sanders Digital, adora “The Times They Are a-Changin”, do Bob Dylan. “Se eu tivesse que escolher uma trilha sonora para minha vida, com toda a certeza seria essa música. Ela fala de mudanças, de pessoas que hoje estão lá em cima, mas podem cair se não mudarem a maneira de enxergar a vida, e de pessoas que hoje parecem estar derrotadas, mas que não desistirão de lutar, e amanhã serão vencedoras. A música diz que não devemos nos acomodar, que devemos nos atentar as coisas e oportunidades a nossa volta, é a nossa famosa zona de conforto que tanto devemos evitar, caso contrário seremos engolidos pelo mercado, pela vida, ou por nós mesmos”, explica.

    “Nunca desistir, é com isso que me identifico nessa música, mesmo que pareça que tudo está terminado, e que você nunca alcançará os seus sonhos e objetivos, jamais podemos desistir, pois para que tudo mude em sua vida, você deve mudar primeiro. Cada vez que ouço essa música tudo isso me vem a mente, tudo o que já passei.”

    Share on facebook
    Facebook
    Share on google
    Google+
    Share on twitter
    Twitter
    Share on linkedin
    LinkedIn

    Outros artigos que podem te interessar

    O que a contabilidade pode fazer pelas pequenas empresas?

    Uma pequena empresa enfrenta diversas dificuldades no mercado, não é mesmo?Além de enfrentar a concorrência de organizações maiores, ela deve ter total controle de sua gestão para se manter saudável financeira e economicamente. Você já pensou que a contabilidade pode se tornar uma vantagem competitiva se você souber utilizá-la a seu favor? Isso mesmo, além

    REFORMA TRIBUTÁRIA e seus impactos nos Planejamentos Sucessórios

    O que é Reforma Tributária? Reforma tributária é a proposta do Governo Federal para simplificar o sistema tributário brasileiro extinguir tributos como o PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS por um Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS).  A reforma busca modernizar a arrecadação de tributos e impostos para favorecer a competitividade das empresas. O

    Outros artigos que podem te interessar

    Assine nossa Newsletter

    Gostaria de saber mais sobre o assunto?