Quais são as principais obrigações acessórias de uma empresa?

Fale com um especialista agora gratuitamente!
Nesse artigo você vai ver:

As pessoas jurídicas no Brasil, independentemente da tributação em que estejam enquadradas (Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples Nacional), são obrigadas a atender a legislação em dois grupos distintos: Obrigações Principais e Obrigações Acessórias.

Neste artigo trataremos das “Obrigações Acessórias”, que são utilizadas pelo Governo como instrumento de checagem das apurações e arrecadações de tributos, mas também como ferramenta de fiscalização das empresas optantes pelo Lucro Real e Presumido.

 

Afinal, você sabe o que são obrigações acessórias?

Como o próprio nome já diz, as obrigações acessórias são procedimentos indispensáveis a serem realizados pelas empresas, pois permitem acompanhar o recolhimento de tributos e identificar possíveis irregularidades com base na fiscalização do Governo.

É importante considerar que as elas não são iguais para todas as organizações, pois variam conforme o regime tributário escolhido e os tipos de tributos devidos.

Abaixo, listamos as principais obrigações acessórias estabelecidas pelo CTN (Código Tributário Nacional):

  • Emissão de notas fiscais de venda de mercadoria e/ou serviço;
  • Escrituração de livros fiscais;
  • Emissão de guias para o recolhimento dos impostos;
  • Folha de pagamento;
  • Elaboração e envio das declarações fiscais e sociais pertinentes;
  • Demonstrativos contábeis.

Com toda a modernização na entrega das declarações por meio digital, facilitando o cruzamento de informações pelo Governo, o cumprimento de todas as obrigações acessórias se tornou uma das maiores preocupações do meio empresarial, ainda mais, quando a não entrega ou entrega em atraso resultam em autuações e multas.

Abaixo, mencionamos as principais obrigações acessórias mensais e anuais, a fim de ajudá-lo a verificar se sua empresa está atendendo de forma correta ao Governo:

 

Principais obrigações acessórias de uma empresa

 

Obrigações Estaduais Mensais:

GIA: Guia de Informação e Apuração do ICMS. Em São Paulo, esta declaração deve ser entregue entre os dias 16 e 19 do mês subsequente ao fato gerador.

EFD ICMS/IPI: Escrituração Fiscal Digital das operações com ICMS e IPI que compõe o SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) e substitui a escrituração dos livros de Entradas, Saídas, Inventário, IPI, ICMS e CIAP. Em São Paulo, esta declaração deve ser entregue até o dia 20 do mês subsequente ao fato gerador.

SINTEGRA: Sistema Integrado de Informações sobre Operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços. Com a implantação do EFD ICMS/IPI, em alguns estados, esta obrigação entrou em desuso. Em São Paulo, o prazo de entrega era definido por notificação.

 

Obrigações Federais Mensais:

CAGED: Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, a mesma é utilizada pelo Programa de Seguro desemprego, a fim de conferir vínculos empregatícios. Esta declaração deve ser entregue até o dia 07 do mês subsequente ao fator gerador.

SEFIP/GFIP: Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social. Essa declaração contém informações trabalhistas, previdenciárias e relativas ao FGTS, sendo obrigatória para todas empresas, inclusive sem funcionários. Esta declaração deve ser entregue até o dia 07 do mês subsequente ao fato gerador.

DCTF: Declaração de Débitos Tributários Federais, contém informações sobre o recolhimento dos impostos federais como Pis, Cofins, IRRF, etc. Esta declaração deve ser entregue até o 15º dia útil do segundo mês subsequente ao fato gerador.

EFD Contribuições: Escrituração Fiscal Digital das operações com Pis, Cofins e CPRB que também compõe o SPED (Sistema Público de Escrituração Digital). Esta declaração deve ser entregue até o 10º dia útil do segundo mês subsequente ao fato gerador.

Além das obrigações estaduais e federais mensais, também existem as obrigações municipais, que dependem da legislação do Município de domicilio da empresa. No município de São Paulo, por exemplo, temos a escrituração mensal de serviços prestados e tomados e desde julho de 2017, a DAI (Declaração de atividades imobiliárias), para empresas com atividades de venda e locação de unidades imobiliárias.

 

Obrigações acessórias anuais:

DIRF:  Declaração do Imposto sobre a Renda Retido da Fonte, contendo informações relativas a retenções de impostos efetuadas nos pagamentos e recebimentos realizados pela empresa. Esta declaração deve ser entregue até o último dia útil do mês de fevereiro de cada ano.

RAIS: Relação Anual de Informações Sociais, está declaração fornece ao governo controle sobre a atividade trabalhista no país, bem como, identifica o trabalhador com direito ao abono salarial PIS/PASEP. Normalmente o prazo de entrega desta declaração vai de janeiro a março de cada ano, com alterações na data inicial e final.

ECD: Escrituração Contábil Digital, outra obrigação que compõe o SPED (Sistema Público de Escrituração Digital). O Objetivo desta declaração é substituir os seguintes livros: Livro Diário e seus auxiliares, Livro Razão e seus auxiliares, Balancetes Diários, Balanços e fichas de lançamento comprobatórias. Esta declaração deve ser entregue até o último dia útil do mês de maio do ano subsequente ao fato gerador.

ECF: Escrituração Contábil Fiscal, declaração que substitui a DIPJ (Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica) deve ser entregue até o último dia útil do mês de julho do ano subsequente ao fato gerador.

 

Concluindo

Neste artigo, esperamos que você tenha entendido não só a importância de cumprir com as obrigações acessórias de uma empresa, bem como quais você deve verificar se a sua empresa está atendendo o fisco de maneira correta.

Além disso, é importante lembrar que cada empresa deve seguir e cumprir com as obrigações acessórias pertinentes ao seu serviço, ramo de atividade, tamanho da empresa e localização.

Ficou com alguma dúvida ou quer conversar mais sobre o assunto? Então mande um e-mail para cinthia@diretocontabilidade.com.br ou entre em contato com a gente pelas nossas redes sociais: LinkedinFacebook e Twitter!

Falando em custos e declarações, você tem o costume de acompanhar as métricas da sua empresa? Saber se a estratégia traçada está tendo bom resultados ou se é hora de mudar de objetivo são alguns dos resultados apontados pelos indicadores contábeis e financeiros.

Quer entender melhor quais são seus benefícios? Então confira esse post completo no nosso blog: Indicadores contábeis e financeiros: Qual a sua importância?

Por Márcia Cristina, Gestora Operacional da Direto Contabilidade, Gestão e Consultoria

 

Compartilhe nas redes:

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Artigo - Direto Group - Contabilidade em São Paulo - SP

Deixe um comentário

Veja também

Posts Relacionados

Tem Clínica Em São Paulo E Está Com As Finanças Bagunçadas. Descubra Como Se Organizar! - Direto Group

Como organizar as finanças para clínicas médicas em São Paulo

Tem clínica em São Paulo e está com as finanças bagunçadas? Descubra como se organizar! Melhore a gestão financeira da sua clínica em São Paulo com dicas práticas. Controle custos, aumente a lucratividade e garanta o sucesso do seu negócio Organizar as finanças de uma clínica médica em São Paulo

Cinco Exemplos De Holdings Familiares Bem Sucedidas E O Que Você Pode Aprender Com Elas. (1) - Direto Group

Descubra como holdings familiares de sucesso podem revolucionar seu Family Office!

Exemplos de holdings familiares bem-sucedidas e o que você pode aprender com elas. Descubra como as holdings familiares bem-sucedidas podem inspirar estratégias para potencializar o seu Family Office! As holdings familiares são estruturas empresariais que desempenham um papel crucial na gestão e proteção do patrimônio de grandes famílias.  No contexto

Os Primeiros Passos Para Criar Uma Holding Familiar. Um Guia Para Não Cometer Erros. (2) - Direto Group

Os segredos da holding familiar para o público Family Office

Os primeiros passos para criar uma holding familiar: um guia para não cometer erros. Descubra o guia completo para criar sua holding familiar sem cometer erros, especialmente para o público Family Office. A criação de uma holding familiar é uma estratégia fundamental para famílias que desejam gerir e proteger seu

Como Aliviar Os Impostos. Itbi E Itcmd Abrindo Uma Holding - Direto Group

Como uma Holding Pode Diminuir Custos com ITBI e ITCMD?

Como aliviar os impostos: ITBI e ITCMD abrindo uma Holding?  Saiba mais sobre o papel das Holdings Familiares na redução de ITBI e ITCMD e como isso pode beneficiar seu planejamento financeiro. O Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD)

Gestão De Investimentos Em Family Office. Porque é Tão Importante (1) - Direto Group

A importância da Gestão de Investimentos em Family Office

Gestão de investimentos em Family Office: Porque é tão importante? Descubra como a Gestão de Investimentos pode garantir a segurança e crescimento do seu patrimônio A gestão de investimentos é uma pedra angular na operação de um Family Office, responsável não só pela prosperidade econômica imediata, mas também pelo legado

Recomendado só para você!
O avanço tecnológico que estamos vendo e sentindo nos últimos…
Cresta Posts Box by CP