Entenda o novo aviso prévio de 90 dias!!

Fale com um especialista agora gratuitamente!
Nesse artigo você vai ver:

No dia 13 de outubro de 2011 passou a vigorar a Lei 12.506, a qual dispõe sobre os novos prazos para concessão do aviso prévio, bem como os critérios de cálculo, alterando em parte o artigo 477 da Consolidação das Leis do Trabalho.

Ocorre que, muitos empregados e empregadores crêem pura e simplesmente que o período de aviso prévio passou de 30 para 90 dias, o que é um engano, sendo oportuno prestar alguns breves esclarecimentos a respeito.

Inicialmente convém esclarecer que o aviso prévio nada mais é do que uma indenização, paga pela parte que deu causa à rescisão do contrato de trabalho, equivalente à maior remuneração que o empregado tenha percebido.

O objetivo do aviso prévio é assegurar ao empregado – demitido sem justa causa e cujo contrato seja a prazo indeterminado – a capacidade de mantença de sua subsistência por determinado período e a possibilidade de que, neste prazo, alcance sua recolocação no mercado de trabalho. Igualmente, é seu objetivo permitir ao empregador a substituição do demissionário no período de aviso prévio ou ser indenizado pelo “desfalque” provocado pelo empregado que não pretende permanecer trabalhando.

Antes do advento da Lei 12.506/11, o aviso prévio era de 30 dias, mas a regra mudou, e o aviso prévio passa a ser calculado da seguinte forma:

a) se o empregado estiver prestando seus serviços por mais de ano, deverá ser observado o período de 30 dias;

b) além do aviso prévio de trinta dias, deverá ser observado o período de 3 dias a cada ano trabalhado, não podendo superar 60 dias.

c) assim, somando-se o aviso prévio de 30 dias (a) e o período de 3 dias a cada ano trabalhado (b), o aviso prévio será de, no máximo, 90 dias. Com efeito, equivocada a compreensão de que o aviso prévio passa a ser de 90 dias, pois, em verdade, ele será de no máximo 90 dias, conforme se depreende do próprio texto legal.

O cálculo é simples, para os trabalhadores com mais de um ano de prestação se serviços:

Aviso prévio = [30 + (3 X número de anos trabalhados na mesma empresa)] Suponhamos, por exemplo, que o empregado trabalhe a 7 anos na mesma empresa:

Aviso prévio = [30 + (3 X 7)] = [30 + 21] = 51 dias

Exceção feita ao prazo, o regramento do aviso prévio está mantido, inclusive no que concerne ao desconto que o empregador pode promover sobre as verbas rescisórias do empregado quando este pede demissão.

Assim, se no caso acima o empregado tivesse pedido demissão e não respeitasse o aviso prévio, sofreria o desconto de 51 dias, reiterando-se que o aviso prévio é uma obrigação bilateral, tanto do empregador em favor do empregado como do empregado em favor do empregador.

Importante salientar, por fim, esta regra vale somente para as rescisões – sem justa causa em contratos a prazo indeterminado ou por pedido de demissão – que ocorrerem a partir da entrada em vigor da Lei 12.506/11, ou seja, 13 de outubro de 2011, não atingindo aquelas que ocorreram anteriormente.

Compartilhe nas redes:

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Artigo - Direto Group - Contabilidade em São Paulo - SP

Deixe um comentário

Veja também

Posts Relacionados

Tem Clínica Em São Paulo E Está Com As Finanças Bagunçadas. Descubra Como Se Organizar! - Direto Group

Como organizar as finanças para clínicas médicas em São Paulo

Tem clínica em São Paulo e está com as finanças bagunçadas? Descubra como se organizar! Melhore a gestão financeira da sua clínica em São Paulo com dicas práticas. Controle custos, aumente a lucratividade e garanta o sucesso do seu negócio Organizar as finanças de uma clínica médica em São Paulo

Cinco Exemplos De Holdings Familiares Bem Sucedidas E O Que Você Pode Aprender Com Elas. (1) - Direto Group

Descubra como holdings familiares de sucesso podem revolucionar seu Family Office!

Exemplos de holdings familiares bem-sucedidas e o que você pode aprender com elas. Descubra como as holdings familiares bem-sucedidas podem inspirar estratégias para potencializar o seu Family Office! As holdings familiares são estruturas empresariais que desempenham um papel crucial na gestão e proteção do patrimônio de grandes famílias.  No contexto

Os Primeiros Passos Para Criar Uma Holding Familiar. Um Guia Para Não Cometer Erros. (2) - Direto Group

Os segredos da holding familiar para o público Family Office

Os primeiros passos para criar uma holding familiar: um guia para não cometer erros. Descubra o guia completo para criar sua holding familiar sem cometer erros, especialmente para o público Family Office. A criação de uma holding familiar é uma estratégia fundamental para famílias que desejam gerir e proteger seu

Como Aliviar Os Impostos. Itbi E Itcmd Abrindo Uma Holding - Direto Group

Como uma Holding Pode Diminuir Custos com ITBI e ITCMD?

Como aliviar os impostos: ITBI e ITCMD abrindo uma Holding?  Saiba mais sobre o papel das Holdings Familiares na redução de ITBI e ITCMD e como isso pode beneficiar seu planejamento financeiro. O Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD)

Gestão De Investimentos Em Family Office. Porque é Tão Importante (1) - Direto Group

A importância da Gestão de Investimentos em Family Office

Gestão de investimentos em Family Office: Porque é tão importante? Descubra como a Gestão de Investimentos pode garantir a segurança e crescimento do seu patrimônio A gestão de investimentos é uma pedra angular na operação de um Family Office, responsável não só pela prosperidade econômica imediata, mas também pelo legado

Recomendado só para você!
Candidatos encontram oportunidades com rendas entre R$ 650 a R$…
Cresta Posts Box by CP