Descubra como a Direto
vai agilizar sua vida!

    Empreendedorismo precisa se formalizar para se tornar maduro!

    Empreendedorismo precisa se formalizar para se tornar maduro!

    Confira a entrevista completa que o Sócio-Diretor da Direto Contabilidade, Gestão e Consultoria, Silvinei Toffanin, deu para o Portal Investimento e Notícias sobre as novas regras do ICMS

    Data da publicação: 01/10/2015

    Artigo original:  http://www.investimentosenoticias.com.br/noticias/negocios/empreendedorismo-precisa-se-formalizar-para-se-tornar-maduro

     

    Empreendedorismo precisa se formalizar para se tornar maduro!

    O Brasil é vice-campeão em empreendedorismo. Hoje existem mais de 10 milhões de micro e pequenas empresas no país. Segundo a Serasa Experian, o país ganhou 990 mil novas empresas somente no primeiro semestre deste ano.

    O empreendedorismo é a forma usada para designar toda e qualquer atividade de proação, criação, desenvolvimento e estabilização econômica. São novos empreendedores as pessoas que enxergam oportunidades onde a maioria vê um problema. Em períodos de economia complicada, como o atual, empreender acaba se tornando uma saída para aqueles que não conseguem uma recolocação profissional.

    Porém, em qualquer um dos casos, a concorrência é uma das grandes dificuldades para que uma empresa se destaque no mercado. Essa mesma concorrência, por outro lado, incentiva a qualificação e a especialização. E é justamente na abertura do próprio negócio que muita gente acaba se encontrando profissionalmente. Ao encontrar um ofício que seja agradável e no qual a pessoa aposta iniciam-se as primeiras preocupações. Como fazer para abrir a minha empresa?

    De acordo com Silvinei Toffanin, diretor da DIRETO Contabilidade, Gestão e Consultoria, há 18 anos no mercado, iniciar um negócio de maneira formal não é complicado, mas exige atenção. Ele oferece algumas dicas importantes para facilitar a atividade:

    1. Procure um contador – esse profissional saberá quais são as documentações exigidas para a abertura do negócio. Além disso, o contador vai recomendar qual o melhor sistema tributário para o seu empreendimento, bem como auxiliará a montar um cronograma com os dias de pagamento dos impostos e informará o melhor dia do mês para fazer um balanço.

    2. Alinhe-se com um advogado – esse profissional vai auxiliar o empresário a elaborar o contrato social e outros documentos da empresa.

    3. Registre a sua marca – inicialmente você vai achar o investimento alto, mas verá que isso vai se tornar uma vantagem para a empresa a longo prazo. Também é importante considerar comprar um domínio na internet, mesmo que para a criação de um site com informações básica. Um bom site sempre faz bem à imagem do negócio.

    4. Invista em marketing – para a criação de logo e projetos de divulgação.

    5. Faça um plano financeiro – É recomendável ser um pouco conservador com relação ao estoque inicial, pecando pela falta e não pelo excesso. Além disso, é imprescindível ter dinheiro em caixa para pelo menos três meses sem lucro. O sucesso do negócio é fruto de um bom planejamento.

    Sob a ótica da burocracia para abertura formal da empresa, Toffanin dá as seguintes orientações:

    1. O primeiro passo para abrir uma empresa é abrir uma firma. Vá a um cartório de registro civil para registrar a sua assinatura. Leve todos os seus documentos pessoais (RG, CPF, Certidões), com cópias autenticadas.

    2. Depois de abrir firma, vá à junta comercial do seu estado ou ao órgão de registro de empresas para registrar que sua empresa existe oficialmente. Para realizar esse procedimento, leve o Contrato Social (esse é o documento mais importante no processo de abertura da empresa, que contem informações como interesse das partes, objetivo da empresa, descrição do aspecto societário e a maneira de integralização das cotas), os documentos pessoais de cada sócio (autenticados) e a cópia do comprovante de endereço da empresa.

    3. Na Junta Comercial, o empresário vai receber o NIRE (Número de Identificação do Registro de Empresa). Há sempre um preço e um prazo para abertura, que varia de acordo com cada local.

    4. Com o NIRE é possível obter o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) e o DECA (Declaração Cadastral), ou seja, a empresa já estará apta a pagar impostos.

    5. Ao cadastrar o CNPJ é preciso saber se o tipo de empresa faz parte do SIMPLES (Sistema Integrado de Imposto e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte) para que essa classificação seja usada na tributação e na fiscalização das atividades da empresa. Antes de fazer o cadastro é importante fazer uma consulta para saber em que tipo sua empresa é classificada.

    6. Feito isso, deve-se fazer um cadastro na prefeitura para receber o alvará de funcionamento, que é uma licença que permite o funcionamento da empresa em determinada localização. O alvará pode ser obtida pela internet ou na secretaria de finanças de sua cidade.
    7. Para contratação de funcionários é necessário fazer um cadastro da empresa e de seus responsáveis na Previdência Social e agir corretamente de acordo com as obrigações trabalhistas. Após o funcionamento da empresa, o prazo para esse cadastro é de 30 dias.

    8. Por fim, prepare o aparato fiscal da empresa solicitando a Impressão de Notas Fiscais e a Autenticação de Livros Fiscais. Esse procedimento se realiza na Secretaria de Estado da Fazenda.

    ‘A burocracia para abrir uma empresa é grande e são diversos os passos, mas trabalhar de maneira formal é o melhor caminho para evitar problemas das mais variadas ordens’, avalia o especialista.

     

    Investimentos e Notícias 01.10.2015

    Share on facebook
    Facebook
    Share on google
    Google+
    Share on twitter
    Twitter
    Share on linkedin
    LinkedIn

    Outros artigos que podem te interessar

    O que a contabilidade pode fazer pelas pequenas empresas?

    Uma pequena empresa enfrenta diversas dificuldades no mercado, não é mesmo?Além de enfrentar a concorrência de organizações maiores, ela deve ter total controle de sua gestão para se manter saudável financeira e economicamente. Você já pensou que a contabilidade pode se tornar uma vantagem competitiva se você souber utilizá-la a seu favor? Isso mesmo, além

    REFORMA TRIBUTÁRIA e seus impactos nos Planejamentos Sucessórios

    O que é Reforma Tributária? Reforma tributária é a proposta do Governo Federal para simplificar o sistema tributário brasileiro extinguir tributos como o PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS por um Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS).  A reforma busca modernizar a arrecadação de tributos e impostos para favorecer a competitividade das empresas. O

    Outros artigos que podem te interessar

    Assine nossa Newsletter

    Gostaria de saber mais sobre o assunto?