Descubra como a Direto
vai agilizar sua vida!

    Indicadores contábeis e financeiros: Qual a sua importância?

    Indicadores contábeis e financeiros: Qual a sua importância?

    Frequentemente, a pergunta que um gestor mais escuta é referente a situação financeira da sua empresa, não é mesmo?

    A resposta, geralmente, começa pelo volume do faturamento em reais e a quantidade de vendas, passando pelas contas a receber e a pagar, finalizando com a posição do patrimônio líquido.

    Após o gestor passar todas essas informações, ele é questionado sobre os indicadores contábeis e financeiros que, geralmente, são de: Rentabilidade, Estrutura, Liquidez e Solvência.

    Cada valor ou volume descrito demonstra, de forma geral, a “saúde financeira” da organização, mas é necessário que haja uma visão de todos os departamentos, para saber, com mais certeza, a real situação financeira do seu negócio.

    Vamos conferir, no decorrer deste post, o que são e qual a importância dos indicadores contábeis e financeiros no gerenciamento da sua empresa?

     

    Afinal, o que são indicadores contábeis e financeiros?

     

    Indicadores contábeis e financeiros são avaliações quantitativas que ajudam a empresa a acompanhar seu planejamento por meio de dados providos da contabilidade e da área financeira.

     

    Eles são importantes porque permitem que o gestor acompanhe o desenvolvimento da empresa e, caso necessário, mude suas estratégias se o objetivo não estiver sendo alcançado.

    Além disso, eles permitem uma visão mais clara dos pontos fortes e fracos da organização, sendo possível  a correção de erros e melhorias.

    A base de dados para se obter os indicadores são as demonstrações financeiras, que possuem estruturas previamente definidas, conforme o ramo de atividade em que a empresa está inserida e através de órgãos reguladores, que são:

    •  IFRS – International Financial Reporting Standards
    • CPC – Comitê de Pronunciamentos Contábeis
    • CFC – Conselho Federal de Contabilidade
    • CVM – Comissão de Valores Mobiliários

    Há também outras entidades reguladoras, sendo que cada qual edita e normatiza suas próprias operações.

    Demonstrações Contábeis ou Financeiras são relatórios que apresentam a situação financeira de uma empresa. Seu objetivo é fornecer informações para auxiliar a tomada de decisão de um gestor.

     

    Quais são os principais indicadores contábeis e financeiros de uma empresa?

    Existem vários tipos de indicadores contábeis e financeiros que podem ser utilizados, abaixo, descrevemos alguns que você não pode deixar de conhecer:

     

    Indicadores de liquidez (Quanto maior melhor):

    Os indicadores de liquidez mostram se uma empresa é capaz de cumprir suas atividades dentro de um determinado prazo. Eles podem ser:

    • Liquidez Imediata: Este índice considera apenas a conta do balanço patrimonial, ou seja, representam valores contidos no caixa da organização, nos saldos bancários e nas aplicações financeiras de curto prazo;
    • Liquidez Corrente: Mede a capacidade de pagamento de uma empresa a curto prazo.
    • Liquidez Seca: Parecido com o índice de liquidez corrente, a liquidez seca mede a quantidade de caixa que uma organização dispõe para pagar suas contas a curto prazo, mesmo que não tenha vendido nada do que tenha estocado;
    • Liquidez Geral: Apresenta uma visão da realidade financeira de um negócio a longo prazo;
    • Capital de Giro Líquido: Indica a quantidade de capital que uma empresa precisa ter para realizar suas atividades;
    • Capital de Giro Próprio: Indica se é o momento para a organização buscar recursos de terceiros para o financiamento das suas operações.

     

    Indicadores de Endividamento (quanto menor melhor):

    Como o próprio nome já diz, os indicadores de endividamento, mostram a quantidade de dívidas de uma empresa. Sendo:

    • Grau do Endividamento Geral: Esse indicador mede o grau de endividamento geral;
    • Participação de Capital de Terceiros: Indica a porcentagem da participação de terceiros no capital de uma organização;
    • Composição do Endividamento: Apresenta quais são os motivos do endividamento de uma empresa e qual a porcentagem de capital está direcionado a ela;
    • Grau de Endividamento Curto Prazo: Revela a porcentagem dos ativos que estão financiados a curto prazo;
    • Grau de Endividamento Longo Prazo: Mesmo objetivo do anterior, porém, a longo prazo.

     

    Indicadores de Imobilização:

     Os Indicadores de Imobilização, mostram o quanto do capital de uma empresa está comprometido e como está sendo utilizado. Eles podem ser avaliados de duas maneiras:

    • Grau de Imobilização do Patrimônio Líquido; Indica o percentual de imobilização do Patrimônio Líquido, ou seja, quanto dos recursos próprios que não se pode utilizar. Quanto maior a aplicação no ativo permanente, menor serão os recursos para uso imediato (ativo circulante), demonstrando uma menor ou maior necessidade de participação de recursos de terceiros;
    •  Grau de Imobilização do Ativo Total: É uma variação do anterior, indicando o percentual do Ativo Total que é consumido pelo Imobilizado.

     

    Indicadores de Rentabilidade:

    O Indicador de Rentabilidade mostra a relação entre o lucro e as vendas, ativos e capital investido.

    Há 3 formas de analisar a rentabilidade de uma organização:

    1. Retorno sobre o Patrimônio Líquido:  Indica quanto será o retorno do capital investido;
    2. Retorno dos Ativos Totais:  Indica a capacidade de geração de Lucros Líquidos através dos ativos disponíveis;
    3. Margem Líquida:  Indica a porcentagem que cada investidor irá ganhar sobre as vendas.

     

    Indicadores de Solvência Geral:

    Os indicadores de Solvência Geral avaliam se uma empresa tem capital suficiente para realizar o pagamento de suas dívidas e obrigações de acordo com os seus vencimentos.

    É importante não confundir os Indicadores de Solvência Geral com os   Indicadores de Liquidez!

    Os índices que medem a liquidez trabalham com obrigações a curto prazo, já os índices de solvência utilizam longos prazos para avaliar o cumprimento do pagamento de dívidas.

     

    Indicadores de Geração de Caixa Operacional:

    Os indicadores de Geração de Caixa Operacional são usados quando a empresa gera recursos apenas através de suas atividades operacionais, mostrando o total disponível.

     

    A quem interessa os indicadores?

    Quem será que utiliza todos esses dados fornecidos pelos indicadores?

    Até agora, falamos mais sobre a importância do gestor em utilizar as informações trazidas pelos indicadores contábeis e financeiros. Mas além deles, há outras pessoas interessadas, tanto de dentro como de fora da empresa.

    As partes interessadas podem ser o Estado (a União, as prefeituras e a Secretaria da Fazenda Estadual), acionistas ou quotistas, clientes, credores, concorrentes, gestores, funcionários e demais pessoas físicas ou jurídicas que estejam interessadas no desempenho da empresa.

    Bastante gente, não é mesmo? Por isso é tão importante realizar a medição desses dados de maneira correta!

     

    Conclusão

    Escolher os indicadores corretos e que irão ajudar na gestão de uma empresa é uma das tarefas mais importantes de um gestor!

    Escrevemos apenas os principais e a mais utilizados, mas, caso você queria saber quais são os outros indicadores existentes no mundo empresarial, mande um e-mail para [email protected], ou entre em contato com a gente pelas nossas redes sociais: Linkedin, Facebook e Twitter!!

    Vamos ter o maior prazer de explicar quais são os outros meios de medição!

    Agora, se você já utiliza os indicadores contábeis e financeiros e quer descobrir outras maneiras de alavancar o seu negócio, confira esse outro post que escrevemos no nosso blog:

    3 coisas que você pode fazer para impulsionar o seu negócio!

    Nele, contém 3 dicas que vão te ajudar (e muito) no crescimento da sua empresa!

    Confira na íntegra e compartilhe com os seus amigos!!

     

    Por Nilton Martins, coordenador de contabilidade da Direto Contabilidade, Gestão e Consultoria

    Share on facebook
    Facebook
    Share on google
    Google+
    Share on twitter
    Twitter
    Share on linkedin
    LinkedIn

    Outros artigos que podem te interessar

    O que a contabilidade pode fazer pelas pequenas empresas?

    Uma pequena empresa enfrenta diversas dificuldades no mercado, não é mesmo?Além de enfrentar a concorrência de organizações maiores, ela deve ter total controle de sua gestão para se manter saudável financeira e economicamente. Você já pensou que a contabilidade pode se tornar uma vantagem competitiva se você souber utilizá-la a seu favor? Isso mesmo, além

    REFORMA TRIBUTÁRIA e seus impactos nos Planejamentos Sucessórios

    O que é Reforma Tributária? Reforma tributária é a proposta do Governo Federal para simplificar o sistema tributário brasileiro extinguir tributos como o PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS por um Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS).  A reforma busca modernizar a arrecadação de tributos e impostos para favorecer a competitividade das empresas. O

    Outros artigos que podem te interessar

    Assine nossa Newsletter

    Gostaria de saber mais sobre o assunto?